O que é vertigem? Medo de cair? Mas porque temos vertigem num mirante cercado por uma balaustra sólida?
Vertigem não é o medo de cair, é outra coisa.
É a voz do vazio debaixo de nós, que nos atrae e nos envolve, é o desejo da queda do qual nos defendemos aterrorizados.

Milan Kundera

Somente no amor gostamos de ver alguém mais feliz do que nós mesmos...

sexta-feira, 31 de maio de 2013

AQUARIANOS...

Os que nascem nesta época do ano vão ter que integrar nas suas vidas a contradição interna que marca o destino dos aquarianos. Ricos ou pobres, bonitos ou feios, inteligentes ou burros, todos tem dentro de si uma centelha de rebeldia, uma curiosidade universal e um fascínio pela passagem do tempo. Aquário é regido por dois planetas que à primeira vista parecem antagônicos. É o espaço do céu que Saturno, o deus do tempo e dos limites, tem que dividir com Urano, o senhor do caos e da liberdade. Desse encontro de gigantes podem nascer pessoas diferentes, até mesmo opostas. Se a força maior é de Urano, aparecem os revolucionários, os subversivos, que em qualquer área em que atuem vão se dedicar a recriar o novo. Como Mao Tse Tung fez com a China, como Christian Dior fez com a alta-costura, como Mozart fez com a música ou James Joyce com a literatura. Querendo ou não, os aquarianos desse tipo tem um encontro marcado com uma revolução. Se não estiverem ao lado dela, vão ser vítimas dela. Como Luiz XVI, o rei que acabou na guilhotina. Quando o peso maior é para Saturno, aparecem os aquarianos que vão se dedicar a conservar e a reorganizar tudo o que o tempo traz. Colecionadores, historiados, cientistas, ou ditadores. A psique dos que nascem neste signo oscila entre a contestação e a ditadura. Mas todos tem uma coisa em comum: a necessidade de fazer parte de um grupo, mas participar dele como uma pessoa independente. Por causa da influência de Saturno, sabem que, sob um determinado ponto de vista, todos os homens são iguais, mas por causa de Urano tem a consciência de que nunca existiram nem vão existir dois homens iguais sobre a face da Terra. O destino dos aquarianos é passar de Saturno a Urano. É passar do passado ao futuro sem se preocupar com o presente. Porque para eles, o presente não existe.


Você pensou que tinha todas as respostas
Que podia descansar seu coração
Mas algo aconteceu
Você não viu, agora
Você não pode se controlar
 
Agora você está nadando perdido
Nas profundezas
Nas profundezas
 
A vida mantém seu coração em círculos
Até que você deixou ir
Até que você perceba seu orgulho e suba para o paraíso
E se liberte de você

O homem é uma corda esticada entre o animal e o super-homem, uma corda por cima do abismo.
Nietzsche

quinta-feira, 30 de maio de 2013

No mármore de tua bunda gravei o meu epitáfio.
Agora que nos separamos, minha morte já não me pertence.

Tu a levaste contigo.

Carlos Drummond de Andrade

... eu tenho o vicio de me machucar!!!


Ando no escuro para tocar onde não devo. Amar é tocar onde não se deve. E curar sem entender a doença.
 
Fabrício Carpinejar

Não conheço algo mais irritante do que dar um tempo, para quem pede e para quem recebe. O casal lembra um amontoado de papéis colados. Papéis presos. Tentar desdobrar uma carta molhada é difícil. Ela rasga nos vincos. Tentar sair de um passado sem arranhar é tão difícil quanto. Vai rasgar de qualquer jeito, porque envolve expectativa e uma boa dose de suspense. Os pratos vão quebrar, haverá choro, dor de cotovelo, ciúme, inveja, ódio. É natural explodir. Não é possível arrumar a gravata ou pintar o rosto quando se briga. Não se fica bonito, o rosto incha com ou sem lágrimas. Dar um tempo é se reprimir, supor que se sai e se entra em uma vida com indiferença, sem levar ou deixar algo. Dar um tempo é uma invenção fácil para não sofrer. Mas dar um tempo faz sofrer pois não se diz a verdade.
Dar um tempo é igual a praguejar "desapareça da minha frente". É despejar, escorraçar, dispensar. Não há delicadeza. Aspira ao cinismo. É um jeito educado de faltar com a educação. Dar um tempo não deveria existir porque não se deu a eternidade antes. Quando se dá um tempo é que não há mais tempo para dar, já se gastou o tempo com a possibilidade de um novo romance. Só se dá o tempo para avisar que o tempo acabou. E amor não é consulta, não é terapia, para se controlar o tempo. Quem conta beijos e olha o relógio insistentemente não estava vivo para dar tempo. Deveria dar distância, tempo não. Tempo se consome, se acaba, não é mercadoria, não é corpo. Tempo se esgota, como um pássaro lambe as asas e bebe o ar que sobrou de seu vôo. Qualquer um odeia eufemismo, compaixão, piedade tola. Odeia ser enganado com sinônimos e atenuantes. Odeia ser abafado, sonegado, traído por um termo. Que seja a mais dura palavra, nunca dar um tempo. Dar um tempo é uma ilusão que não será promovida a esperança. Dar um tempo é tirar o tempo. Dar um tempo é fingido. Melhor a clareza do que os modos. Dar um tempo é covardia, para quem não tem coragem de se despedir. Dar um tempo é um tchau que não teve a convicção de um adeus. Dar um tempo não significa nada e é justamente o nada que dói.
Resumir a relação a um ato mecânico dói. Todos dão um tempo e ninguém pretende ser igual a todos nessa hora. Espera-se algo que escape do lugar-comum. Uma frase honesta, autêntica, sublime, ainda que triste. Não se pode dar um tempo, não existe mais coincidência de tempos entre os dois. Dar um tempo é roubar o tempo que foi. Convencionou-se como forma de sair da relação limpo e de banho lavado, sem sinais de violência. Ora, não há maior violência do que dar o tempo. É mandar matar e acreditar que não se sujou as mãos. É compatível em maldade com "quero continuar sendo teu amigo". O que se adia não será cumprido depois.

 


Carpinejar no livro "O amor esquece de começar"

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Abandonar o paraíso é a única forma
de não esquecê-lo.
 
Carpinejar
Só é mortal
o que não vimos.
 
 
 
 
 

Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.
 
Caio Fernando de Abreu
Porque a vida segue. Mas o que foi bonito fica com toda a força. Mesmo que a gente tente apagar com outras coisas bonitas ou leves, certos momentos nem o tempo apaga. E a gente lembra. E já não dói mais. Mas dá saudade. Uma saudade que faz os olhos brilharem por alguns segundos e um sorriso escapar volta e meia, quando a cabeça insiste em trazer a tona, o que o coração vive tentando deixar pra trás.
 
Caio Fernando Abreu
Eu fico aqui
sonhando contigo
e você aí
sonhando comigo
e a gente assim
... orquestrando um encontro
se esbarrando no tempo
tropeçando no mundo
E eu aqui
abraçando o meu choro
E voce aí
abraçando teu sonho
E a gente assim
sufocando um desejo